AVAAZ, nunca mais!

Gente, é simplesmente INACREDITÁVEL essa história relatada ontem pelo jornalista Reinaldo Azevedo!! Certamente, nem todas as pessoas que pertencem à organização AVAAZ são canalhas, mas aquelas que decidiram excluir a petição criada pelo cidadão Ricardo Rocha, definitivamente, são pessoas que não prestam. Isso é mau caratismo puro e simples!! Moral da história: AVAAZ, NUNCA MAIS!  Alguns trechos da vergonha (link para a matéria logo abaixo):

Alguém lançou na página da Avaaz uma petição propondo a cassação do registro profissional de Silas Malafaia. Razão? As suas opiniões sobre a homossexualidade e a defesa que faz do que chama trabalho de “reorientação”. (…)

Muito bem! No dia 9 deste mês, Ricardo Rocha lançou no mesmo site uma petição contra a cassação do registro. Ora, não é assim que as coisas devem funcionar? No escopo da democracia, alguns fazem petição a favor de determinadas causas, outras, contra. Pois bem: anteontem, aconteceu o que certamente a patrulha não esperava: os signatários favoráveis à manutenção do registro profissional de Malafaia superaram, em número, os que queriam cassá-lo: 65.786 contra 55.000. E então se deu o ato indigno. Ricardo Rocha, o criador da petição favorável à manutenção do registro de Malafaia, recebeu a seguinte mensagem da Avaaz, DIRIGIDA E DESMORALIZADA, NO BRASIL, por Pedro Abramovay:

“Olá Ricardo, (…) Infelizmente, a maioria dos membros da Avaaz não apoiaram sua petição e, seguindo nossos Termos de Serviço, tivemos que removê-la de nosso site. (…) Nossas sinceras desculpas…”

Ah, bom! Então tá!

Atenção, meus caros! A primeira petição não era “favorável aos gays”, mas a favor da cassação do registro profissional de Malafaia. A segunda petição não era “contra os gays”, mas contra a cassação daquele registro.

Quando a Avaaz diz que só faz campanhas que visam “à sua missão”, cabe perguntar: uma de suas missões é cassar registros profissionais de pessoas das quais a “comunidade do site” discorda? (…) Assim, no Brasil, a Avaaz deixa de ser um site de petições que vocaliza a opinião da sociedade civil, como eles pretendem, para se transformar num grupo de pressão que tem uma agenda política. (…) A democracia de um lado só é a forma mais virulenta de ditadura.

Daqui: A agressão à democracia feita pela AVAAZ