O fenômeno Cinquenta tons de cinza: excelente comentário!

Esta crítica ao famosíssimo livro “Cinquenta tons de cinza” está tão boa, mas tão boa, que eu gostaria de te-la escrito. Divulgo-a aqui, então (siga um dos links abaixo para ler na íntegra):

“Tenho de começar esse texto fazendo duas confissões. A primeira é que ainda não li Cinquenta tons de cinza — o best-seller sobre o qual todo mundo está falando. A segunda é que não tenho a menor intenção de fazê-lo. De algum modo — talvez pelo flagrante mau gosto da coisa toda — ele simplesmente não me apetece. Entretanto, após ter lido algumas boas resenhas, esse parece ser o tipo de livro digno daquela observação de Ambrose Bierce: “As capas deste livro estão muito distantes”. Cerca de 480 páginas de distância, antes que você me pergunte.”

 

50tons

http://www.reformahoje.org/index.php/component/k2/item/46-o-fen%C3%B4meno-cinquenta-tons-de-cinza

http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/13842-o-fenomeno-cinquenta-tons-de-cinza.html

 

Livros, livros, e mais livros…

Quero disponibilizar neste espaço, a partir de agora, as resenhas de livros que tenho escrito ao longo dos anos, desde os tempos da minha graduação. Para começar, esta aqui, de 2006 (clique no título para le-la na íntegra):

“Henri Nouwen: em nome de Jesus”

Trecho:

“O pequeno livro do sacerdote holandês Henri Nouwen é, seguramente, uma das mais extraordinárias reflexões já feitas em toda a história do cristianismo, sobre o que significa ser um autêntico líder cristão, e as implicações decorrentes disso, para todos os níveis de liderança. O autor discorre sobre as descobertas que ele fez em sua vida e ministério, a partir do momento em que, discernindo a voz de Deus e obedecendo à orientação recebida, decidiu abandonar sua carreira de professor durante duas décadas nas melhores universidades americanas para tornar-se capelão de uma comunidade de deficientes mentais no Canadá, indo morar com eles.”